segunda-feira, 31 de março de 2008

Acabou-se!!

Bom dia meu povo...tinham de ser estas as palavras que iniciam o útimo post deste blog.
Caros amigos & leitores neste momento escrevo emocionado. Chegou a hora da despedida. Sei que estas notícias são uma grande surpresa para a esmagadora maioria dos leitores, mas a vida é mesmo assim...sempre cheia de surpresas boas e más, e principalmente quando menos se espera.
Pois é camaradas, foi sob a protecção da Difunta Correa que alcancei um feito extraordinário que me fez tomar uma decisão muito importante e irreversível. Acabo de ser abençoado pela mais alta divindade que caminha neste mundo, Diego Armando Maradona, e a partir deste momento a minha vida não poderá ser a mesma. Consegui milagrosamente estar na presença do D10S e a minha espinha ainda está arrepiada com o forte abraço que trocámos. Caros amigos & leitores, a emoção atraiçoa-me e neste momento é muito difícil explicar tudo o que me vai na alma. A realidade é que depois de ter o Diego nos braços a vida é diferente. Sentir o seu suor bem quentinho a tocar a minha pele e receber um pouco da sua brilhantina na minha farta cabeleira tornaram-me num ser especial...deixei de ser um simples homem. E eu que só ambicionava ser feliz...
Depois deste feito histórico já não há mais nada a fazer aqui e por isso vejo-me na obrigação de dar um novo rumo à vida.
Malta, foi uma grande honra partilhar algumas histórias e aventuras que passei nos últimos tempos.
A LUTA continua...
Suerte,
Panchito

quinta-feira, 27 de março de 2008

Os macacos e os mercados financeiros

Hola malta,
Recebi um mail com uma história bastante interessante e não resisto a partilhar com vossas excelências.
Numa localidade no fim do mundo apareceu um homem anunciando aos aldeões que compraria macacos por €10 cada. Sabendo que havia muitos macacos na região, os aldeões foram à floresta e iniciaram a caça aos macacos. O homem comprou centenas de macacos a €10 e com o passar do tempo os aldeões diminuíram seu esforço na caça.
De forma a responder a este arrefecimento, o homem anunciou que agora pagaria €20 por cada macaco e os aldeões renovaram seus esforços e foram novamente à caça. Os macacos foram escasseando cada vez mais e os aldeões foram desistindo da busca.
A oferta aumentou para €25 e a quantidade de macacos ficou tão pequena que já não havia mais interesse na caça. O homem anunciou então que agora compraria cada macaco por €50, e que entretanto, como iria à cidade grande, deixaria o seu assistente a tratar do negócio dos macacos.
Na ausência do homem, o assistente disse aos aldeões: "Olhem todos estes macacos na jaula que o homem comprou. Eu posso vender-vos por €35 e, quando o homem voltar da cidade, vocês podem vender-lhe por €50 cada." Os aldeões, espertos, pegaram nas suas economias e compraram todos os macacos do assistente. Acontece que eles nunca mais viram o homem ou o seu assistente, somente macacos por todos os lados.
Bienvenidos ao mundo real, agora ficaram a saber como funcionam os mercados financeiros.

terça-feira, 18 de março de 2008

Mendoza, até choras!

A Cordilheira dos Andes
Mariana a trabalhar.

Falâncio e as suas 5 irmãs.

Grande Martina.

Panchito en el Dique de Ullúm.

Grande Ceci, by Fred.

Até Choras!


Grande Ceci!


A Luta continua!


La dupla na bravaria.

Lucho, um assador de categoria!

Guitarradas. Lars, Mariana, Lucho y Fede.

Guitarradas. Fede, Pamela, Guillermo, Fred y Isabelle. Até Choras!

sábado, 15 de março de 2008

Moleza é ComPaixão, a luta continua!

Caros amigos,
Quem me conhece bem sabe que quando estou no estrangeiro tenho sempre duas grandes lutas a acrescentar às outras que sempre me acompanham. A primeira, e é a primeira apenas porque é a mais fácil de descrever, é a evangelização vermelha que procuro levar a cabo com bastante afinco. A segunda é a árdua tarefa de conseguir tornar uma pessoa Famosa ainda mais Famosa.
Caros amigos, quem não estiver bem sentado é melhor acomodar-se porque vão tomar conhecimento de uma notícia formidável que poderá provocar um fanico às pessoas mais sensíveis. Quando vou na rua e escuto um grande "Panchito, Viva Benfica!!" parece-me que corre tudo tranquilo com a primeira luta e por isso não vou perder muito tempo com explicações sobre esse assunto. A segunda luta é sempre um trabalho mais complicado. Meus estimados amigos, espero que quem pensava que eu era um amador se deixe finalmente desses pensamentos tristes. Escrevo então para informar que o Famoso vai ficar ainda mais famoso. Consegui, e consegui muito mais do que alguma vez esperei!! Daniel, Daniel Paixão fez-se ouvir em Mendoza e veio para ficar com grande poder. No asado de ontem tive uma hinchada brava argentina a pedir que tocasse uma música para a malta. Com a bravaria argentina não se brinca e fui obrigado a tocar o grande sucesso de 2005 e de sempre sem o Homem da Gaita e o Famoso. Quem conhece este tema fantástico de letra e música da grande dupla Fanã & Xico sabe seguramente qual foi o efeito criado na assistência. Acontece que desta vez havia alguém especial a assisitir. A emoção causada pela melodia única de Moleza é ComPaixão foi tão grande que o grande amigo Lucho resolveu pedir autorização para introduzir este tema fantástico no seu segundo disco que está a ser gravado neste preciso momento. É verdade meus amigos, é verdade Dani, é verdade Fernandez. A música do Museu King Arthur Palau de la Guitarra, a brilhante música que imortalizou uma das aventuras mais fantásticas que a Humanidade teve a possibilidade de apreciar vai sofrer uns arranjos e ficar registada em disco sendo cantada em português com sotaque argentino.
Moleza é ComPaixão, a luta continua!!
Suerte,
Panchito

quinta-feira, 13 de março de 2008

Panchito en Malargüe

Caros amigos,

Quando uma pessoa está en Sudamérica e viaja 650km para Sul com o objectivo de visitar umas belas montanhas se calhar deveria pensar que, por um mero acaso, há fortes hipóteses de passar muito frio e não deve de maneira alguma ir passear de calções. Por outro lado, e tentando analisar a questão de um modo mais profundo, uma pessoa que se encontre de calções num lugar desses deveria evitar ir à meia-noite para o terminal de micros com esperanças de encontrar lugar na camioneta 30 minutos antes da partida para Mendoza.
Agora que os estimados leitores já estão avisados para alguns perigos desta vida vamos ao que interessa. Fui visitar Malargüe, o departamento mais a sul da província de Mendoza, com a minha amiga e companheira de aventuras Martina Schwerdtner. Acabo de ir a Marte e voltar. É seguramente um local único no planeta e dos sítios mais bonitos que conheci. Felizmente tive a honra de o visitar numa altura em que a exploração turística da região ainda está numa fase bastante embrionária. Malargüe é o local do mundo com maior concentração de vulcões. São mais de 800 e isso marca claramente todas as paisagens. Por outro lado a região começa a ganhar grande valor a nível mundial com a quantidade de importantissimos vestígios de dinossauros encontrados. Isto de ser português com a companhia de uma alemã às vezes tem as suas vantagens na Argentina e fomos recebidos como grandes cientistas no centro de estudos paleontológicos da cidade. Ofereceram-nos uma visita guiada pelo centro com direito a paragem das obras que se estão a realizar no edfício para que pudessemos escutar melhor. Durante as detalhadas explicações até nos passavam para as mãos peças únicas no mundo com mais de 150 milhões de anos. Terminámos a visita a ser convidados a deixar o contacto para que daqui a 2 anos nos possam convidar para a inauguração do futuro museu de dinossauros de Malargüe. Para assistir a este evento também virão os maiores especialistas de dinossauros do mundo.
Payunia. Até Choras!
Panchito em cima de uma bomba vulcânica.


Panchito y Martina Schwerdtner em Payunia.

Laguna de Llancanelo.

Pôr do sol na Cordilheira dos Andes.

Duas da manhã, quase zero graus. Não aconselhável a amadores.

domingo, 9 de março de 2008

Fiesta de la Vendimia

Hola Malta, como andam?
Neste fim-de-semana assisti à grande festa anual de Mendoza, a festa pela qual as pessoas anseiam todo o ano, a festa que pára toda a Província, a espectacular e sublime Fiesta de la Vendimia. Estou quase sem palavras meus amigos. Mendoza é uma terra de vinho e tem como ponto alto ano uma festa da vindima para celebrar as colheitas. Até aqui tudo normal. Mas qual foi a melhor forma arranjada para festejar as colheitas que vão permitir produzir o vinho que por sua vez alimentará durante todo ano a economia desta região bem maior que Portugal? Bienvenidos a Argentina caros leitores, como é óbvio nesta terra a melhor forma é fazer a eleição da reina da vendimia. É uma espécie de eleição da miss Mendoza do mais piroso que possa existir e domina por completo tudo o que se passa na região durante as duas semanas que antecedem a este evento tão.......fantástico. Como qualquer mendocino também tinha a minha reina preferida. Sou um grande apoiante das diferenças e simpatizei bastante com a Débora Muriel, o rei de Lujan de Cuyo que conseguiu enganar os juris e entrar num concurso de beleza feminino.

Mas caros leitores, tenho de contar que a última 6ª feira foi um grande dia de sorte. Fomos ver a Via Blanca, um desfile realizado na noite que antecede à eleição da reina. As candidatas passeiam pela cidade no topo de carros alegóricos saludando a multidão que lhes acena emocionadamente na esperança de conseguir ter a honra receber uma miradazinha. Durante o caminho vão atirando regalos aos pobres, que lutam ferozmente por conseguir apanhar essas preciosidades. Vou conseguir ser feliz o resto da vida meus amigos, neste dia fabuloso para além de ter tido a honra de admirar as reinas fantásticas (ou talvez não...) fui abençoado e consegui apanhar uvas, uma ameixa, um pacote de pó para fazer sumo de "laranja" que rende para 2 litros de àgua, e para inveja de mais de 300 pessoas que me rodeavam fui o felizardo que apanhou o melão enviado para nosso sítio. A explicação para esta sorte de outro mundo é bastante simples, nessa noite vestia orgulhosamente a minha t-shirt da Difunta Correa. Obrigado Difunta, qualquer dia vou lá colocar outra garrafa de coca-cola cheia de àgua. No entanto caros leitores, o melhor ainda estava para vir. Com tamanha quantidade de presentes obtidos fiz um sucesso tremendo no meio da multidão. Depois de contar que tinha vindo propositadamente de Portugal para assistir a esta festa extraordinária e que apoiava ferverosamente a reina de Lujan abriu-se uma clareira na multidão para que eu pudesse ter a honra de ver o carro do meu rei na 1ª fila! Aqui ficam alguns registos.


Viva a Débora Muriel.





Débora Muriel, o meu rei.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Feliz cumpleaños Benfica!!

Caros amigos,
eu às vezes gosto de ser bem labrego. Hoje mais uma vez não resisti e lá tive de espetar aqui com este símbolo de uma força que muitos sonhavam alcançar, e a que outros, muitos muitos mais, pertencem. Domingo é luta com eles...


terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

A Lucha ganhou mais força

Camaradas & Amigos,
"La familia va a crescer!", foi com estas palavras que o Lucho me saludou hoje à noite, e mal sabia eu que as notícias eram bem melhores do que imaginei naquele momento. A China está grávida e nos próximos tempos vamos ter cachorrinhos a brincar pelo jardim fora. Pensava que a barrigona da minha fiel companheira era o resultado da quantidade de assados que temos feito nos últimos tempos, mas hoje numa consulta de rotina o veterinário comprovou que está mesmo grávida. Esta comprovação também acabei eu de fazer ao assistir em directo e a cores ao milagre da vida em toda a beleza. A China gosta é de acção e não teve a mínima vergonha em nos presentear com seis novos companheiros de caminhada. Hoje foi um grande dia malta, hoje estou comovido e feliz.


Suerte,
Pancho

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Pancho no Cerro da Glória

Hola outra vez malta,
Recentemente tive conhecimento de uma notícia de grande relevo e resolvi usar este meio de comunicação para a divulgar. Calculo que a esmagadora maioria dos leitores desconheça que entre os contacteantes deste ano exista uma pessoa com uma grande importância no mundo. Arrisco até a dizer que no Universo. Pronto, para a minha avó essa pessoa sou eu, mas estou a falar de um reconhecimento mais genérico. Essa pessoa é tão importante que este ano vai ser abençoada com um glorioso galardão de valor inestimável.
Resolvi fazer uma singela homenagem ao grande feito alcançado por essa pessoa, e depois de muito pensar cheguei à conclusão de que tendo em conta o afamado galardão nada se ajustaria melhor do que uma escalada ao Cerro da Glória.
Foi então sob os fortes raios de Inti que saí de casa no pico do calor para fazer uma grande caminhada de duas horas e meia até ao Cerro que muitos visitam, mas apenas quando vão sentadinhos no conforto do seu carrinho. Resolvi pôr em práctica a minha astúcia e fazer um grande corta-mato pela selva e montanha. Exigiu alguma destreza física, mas a realidade é que a motivo da escalada valia a pena e com esta moral tinha chegado ao topo do Aconcágua.

O corta-mato começou na selva.

Subi de chinelos. Até Choras!!

Aqui a t-shirt já estava ensopada.

O topo do Cerro da Glória. Uma homenagem ao Exército dos Andes.

Grande Simone, Águia de Prata, apresento aqui a minha sentida vénia. Espero que um dia cheguemos a realizar a promessa de ir passear ao Roque Santeiro. Já nos estou a ver lá a dizer que não queremos a bazuca porque é muito pequenina...

Suerte,
Pancho

Um patriota é um idiota

Caros companheiros,
"Um patriota é um idiota" foi uma frase de protesto que li numa parede de Lisboa quando era pequeno. Foi uma frase que aprendi a compreender ao longo dos anos e hoje concordo com ela mais que nunca. Nascemos todos no mesmo mundo e não me revejo nas linhas pintadas nos mapas a que chamam fronteiras. O mundo é de todos e o patriotismo acaba por ser uma antiga forma de manipulação das massas. Eu não vou nessa malta...
No entanto caros amigos, tudo tem limites e para grande satisfação dos leitores patriotas fui obrigado a defender o bom nome de Portugal aqui em Mendoza. Noutro dia enquanto dava um belo passeio conheci uma homenagem da cidade de Mendoza a Portugal, conheci a Plazoleta de Portugal.

O nome Plazoleta já tornava a coisa suficientemente ridícula, mas a ideia de colocar na placa o Galo de Barcelos, o símbolo mais idiota que vi um país a usar, elevava a situação para o nível da ofensa. Mas que coisa espectacular pensei eu para mim, a pessoa que fez esta Plazoleta não percebe mesmo nada disto e mancha alegremente o bom nome de Portugal.
Como nos bons velhos tempos dos Galácticos o desejo de praticar o Bem apoderou-se de mim e tive de fazer alguma coisa para terminar com esta barbárie. É com grande satisfação que partilho convosco a minha ideia brilhante. A partir do dia de hoje a cidade de Mendoza passará a olhar-nos com outros olhos, a partir de hoje seremos respeitados. Não é preciso agradecer malta...


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

É oficial, voltei aos golos!!

Caros Amigos,
foram 4 meses de tortura, 122 dias de muito sofrimento. Custou muito estar afastado. A desilusão venceu algumas batalhas mas acabou por perder a guerra. Ontem foi o grande dia em que voltei a acariciar a redondinha. Ontem foi o dia em que voltei a balançar a rede.
Suerte,
Pancho

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Pancho em aventuras - Até choras, dizia a bófia...

Hola outra vez malta! Pensavam que as aventuras do fim-de-semana já tinham terminado, mas na verdade estão muito enganados. Falta fazer um mini-relato da grande aventura passada no fim-de-tarde de Domingo.
No ano de 2005 passei uma arriscada aventura num mítico dia em que o Barcelona se sagrou campeão de Espanha. Para que tenham uma noção mais precisa da data revelo que nesse mítico dia também se festejava naquela cidade a brilhante vitória do Glorioso sobre o Sporting que se mostrou decisiva na conquista do campeonato português desse ano. Muitos dos leitores assiduos deste blog estiveram presentes nesse momento, muitos outros ouviram a história mais tarde quando regressei, e para os leitores que estão à nora posso então revelar resumidamente que pelas 5h da manhã quando subiamos calmamente as Ramblas demos por nós no meio de uma batalha campal com várias centenas de vândalos a destruirem tudo o que lhes aparecia à frente e em violentos confrontos com a polícia.
Caros companheiros, de facto esse momento foi agressivo, mas incrivelmente ontem ao final da tarde passei por uma situação bastante mais hard core. Fui convidado por um colega para ver um jogo do grande clube San Martín de Mendoza contra o Guaymallén, um clube rival aqui da região. Eu bem que queria ver o jogo todo, mas não foi possível. Um jogo da 4ª divisão argentina realizado num estádio que talvez seja melhor que alguns da primeira divisão portuguesa, com grande afluência de público e num ambiente de festa espectacular com as claques a brilharem. Desta vez deixei-me de parvoeira e fui curtir para a popular juntando-me à claque do San Martín.
Aqui na Argentina claque diz-se Hinchada Brava. E o que é que algumas mentes mais astutas já estarão a pensar? Como é óbvio, uma hinchada brava só pode ser uma granda Bravaria!! E de facto confirma-se meus amigos... Tudo se desenrolou quando o San Martín perdia 1-0 e os hinchas cantavam efusivamente um cântico que dizia que a jogar bem ou a jogar mal estariam a apoiar a equipa. Como seria de esperar pelo desenrolar do jogo o Guaymallén fez o 0-2. Num espaço de 5 segundos metade da numerosa claque começa a saltar uma série de redes para dar volta ao estádio com o objectivo de se aproximar dos adeptos adversários que estavam no outro topo. Começa uma guerra de pedras altamente violenta que causa grande revolta nos adeptos contrários. A polícia de choque ataca então ferozmente lançando um ataque durissimo com cães e gás lacrimogénio. Como a maior parte da claque já se encontrava na bancada central o gás foi lançado para essa bancada, local onde também se encontravam senhores já com uma certa idade, crianças, famílias, etc...Inicia-se então a fuga de uma multidão a sofrer os fortes efeitos do gás. Jogo terminado à boa maneira sul-americana e só tive tempo de tirar a t-shirt, enrolá-la à volta da cara e correr dali para fora enquanto voavam calhaus por todo o lado. Nunca pensei que o gás fosse tão forte. ATÉ CHORAS dizia a bófia..
É incrível o ponto a que a estupidez humana pode chegar.
Suerte,
Pancho